ARIADNE: UMA LUZ NO COMBATE AO DESCALABRO DOS AGROTÓXICOS

Dentre os muitos recordes vexatórios sustentados pelo Brasil, no contexto mundial, está o de maior consumidor de agrotóxicos. Em 2014, cada brasileiro consumia, em média, 5,2 litros de veneno por ano, sem contar com o problema da contaminação ambiental e dos trabalhadores, embora a subnotificação massiva dos casos de intoxicação provocados por tais produtos seja uma realidade em nosso país. Estudos estimam que, para cada caso registrado pelo Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN-SUS), cinquenta permanecem sem registro (RODRIGUES, 2012). 

O cenário aterrador de desmonte de direitos sociais e avanço da pauta do agronegócio por meio de sua bancada no Congresso Nacional, deflagrado com o golpe político-midiático perpetrado em 2016, projeta um agravamento ainda maior desta situação, tendo em vista a tramitação de diversas propostas para flexibilizar ainda mais as regras para regulação dos agrotóxicos no país.    

Em meio a tantas más notícias, uma boa nova pôde ser anunciada no final do último mês de outubro: o lançamento do Sistema de Busca de Informações Sobre Agrotóxicos – ARIADNE, desenvolvido por meio de parceria entre a Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP e o Centro de Vigilância Sanitária (CVS) da Secretaria do Estado de São Paulo. 

O ARIADNE resultou da dissertação de mestrado de Rubens José Mário Júnior e apresenta um conjunto de informações sobre o uso e a aplicação de agrotóxicos, os parâmetros principais do seu comportamento no ambiente e as propriedades associadas à toxicidade crônica, considerando os riscos à saúde humana causados por exposições a baixas doses em longos períodos de tempo. Ademais, também apresenta dados inéditos de pulverização aérea no estado de São Paulo, para o período de 2013 a 2015, e direciona o usuário para bases nacionais e internacionais que permitem acesso a informações mais detalhadas. 

O portal pode ser acessado por meio do link:

http://www.fsp.usp.br/nra/ariadne/comportamento-ambiental.php

Fonte: Jornal da USP, 7 de novembro de 2017.

Referência: 

RODRIGUES, C. L. Agrotóxicos: saúde e segurança dos trabalhadores rurais, aspectos preventivos e controle de riscos, perspectivas jurídicas e extrajurídicas. 2012. 137f. Monografia (Especialização em Direito Material e Processual do Trabalho) – Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

hairy girls buy viagra online
Guilherme Marini

Sobre Guilherme Marini

Docente do Programa de Pós-Graduação - Mestrado Profissional em Geografia da FCT/UNESP/Campus de Presidente Prudente-SP. Membro do CEGeT e do CETAS e coordenador do Blog do Otim.
Veja outros posts por Guilherme Marini →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *